Estudos americanos comprovam que a gestante que pratica ginástica especial, ganha menos peso, aumenta sua tolerância à dor e diminui a duração do parto normal.
O mecanismo do parto normal consiste no relaxamento de alguns músculos e contração de outros - especialmente os abdominais. Para a criança nascer sem problemas, é preciso haver coordenação destes movimentos. Qualquer exercício que aumente as forças dos músculos abdominais ou diminua a resistência dos músculos da pélvis (região inferior da barriga, por onde passa o bebê) contribuem para reduzir o tempo e a dor do parto. Muitas vezes, o parto normal não acontece por falta de coordenação destes músculos. Uma criança nasce em parto normal quando as forças orgânicas que empurram a criança para baixo são mais poderosas que as resistências que sustentam o bebê.


Forças que empurram o bebê para baixo:
1. Músculos abdominais;
2. Peso do bebê;
3. Contração do útero.
À medida que o parto progride, uma produção natural de uma substância chamada ocitocina, que estimula as contrações do útero, e portanto, a expulsão do bebê. Mais um artifício para o parto acontecer com perfeição.


A importância dos exercícios:

Além de facilitar o trabalho de parto, os exercícios conservam o corpo da mulher, evitam dores nas costas, culotes e flacidez, e melhoram a circulação. Quando a grávida pratica exercícios, tem maior facilidade para recuperar o peso depois do parto e menor risco de sofrer de depressão pós-parto.